Durante o ZL Camp, dois grupos trabalharam com mapeamento. Um primeiro concentrou-se na preparação dos dados geomorfológicos básicos para os três canteiros previamente selecionados como foco para primeira fase do projeto, estes arquivos servirão como background para os futuros mapas do projeto. O segundo concentrou-se no recorte de dados relativos a estes espaços com o duplo objetivo de entender / organizar o já havia sido coletado e recortar essas massas de dados mantendo apenas aqueles relativos aos territórios selecionados, estratégia fundamental para facilitar a manipulação dos mesmos.

Camp6

Pesquisadores do ZL Vórtice exploram as possibilidades do QGIS, a partir de um shapefile da cidade de São Paulo em que foi feito um recorte para delimitar a área mapeada pelo projeto

O primeiro grupo produziu durante o ZL Camp e semanas seguintes os mapas abaixo utilizando a plataforma QGis:

Esquina-de-Vigas-1p5000

Área crítica para o Canteiro do ZL Vórtice que será implementado na região da Unifesp

Sitio-Mirim---1p5000

Área crítica para o Canteiro do ZL Vórtice que será implementado na região do Jardim Pantanal

Unifesp-1p5000

Área crítica para o Canteiro do ZL Vórtice que será implementado na região da Avenida Aricanduva

O segundo grupo trabalhou com massas de dados disponíveis a patir do Portal Dados Abertos da prefeitura São Paulo e arquivos obtidos via plataforma web do IBGE. O desafio foi espelhar os recortes geográficos do projeto com as tabelas de geolocalização utilizadas por cada uma destas plataformas.

Anúncios